Nutrição durante a menopausa

Nutrição durante a menopausa

número 3:

A maioria das mulheres não pensa na menopausa até uma certa idade. É por isso que sua ofensiva é muitas vezes percebida de forma dolorosa, às vezes trágica – dizem, tudo o que é agradável e significativo já ficou para trás, apenas uma velhice sombria pela frente. Na verdade, a menopausa é uma nova etapa da vida, não menos agradável do que todas as outras. A natureza liberta a mulher da gravidez – por assim dizer, manda o corpo de férias. E essas férias precisam ser descartadas adequadamente …

Após a menopausa, a saúde da mulher depende muito de como ela se alimenta. Nesse período, a alimentação adequada está associada não só à aparência e corpo esguio, mas também à preservação da saúde, à prevenção de diversas doenças “relacionadas ao envelhecimento”. No contexto de uma diminuição nos níveis de estrogênio, um aumento no peso corporal é freqüentemente observado. Isso pode provocar a ocorrência de doenças graves como diabetes mellitus tipo II, hipertensão, doença cardíaca coronária, câncer de mama e reto. A prevenção das consequências negativas da menopausa é simples: adesão às regras de uma alimentação balanceada e inclusão de alguns alimentos no cardápio.

Ao incluir em sua dieta, a partir dos 30 anos, alimentos ricos em fitoestrógenos, a mulher adia a aproximação da menopausa e preserva por muito tempo a juventude e a beleza feminina. Mas, claro, em tudo você precisa saber quando parar. O cardápio diário não deve incluir apenas esses produtos.

Rico em fitoestrógenos, a saber isoflavonas, coumestã e lignana: leguminosas, grãos de trigo integral, soja, arroz, cevada, linho, alfafa, aveia, sementes de girassol, milho, gengibre e lentilhas. Além disso, seu ótimo conteúdo é observado em:

vegetais (vários tipos de repolho, espinafre, salsa, alho, cenoura);

bagas;

ervas medicinais (inhame selvagem, alcaçuz, erva de São João, orégano, trevo doce, tília, sálvia);

alguns cogumelos;

frutas (tâmaras, romãs, uvas vermelhas, maçãs);

nozes;

Chá verde;

óleos (soja, azeitona, linhaça, tâmara, coco, romã).

Os fitoestrogênios obtidos das plantas acima também têm efeitos antivirais, anticancerígenos, bactericidas e anti-escleróticos. Por conveniência, existem 10 princípios de alimentação saudável que ajudarão a manter a saúde e a beleza da mulher durante esse período da vida.

Leia mais em: Realivie funciona

Durante a menopausa, é necessário monitorar a ingestão suficiente de vitaminas e minerais, que são catalisadores biológicos de todos os processos metabólicos. A maior quantidade de vitaminas e minerais pode ser obtida de vegetais de cores vivas. Quaisquer verduras, frutas vermelhas, frutas e vegetais (pimentões, cenouras, groselhas, cerejas) são úteis. Coma repolho roxo, não repolho branco, toranja com polpa vermelha em vez de branca.

Mulheres que, por uma razão ou outra, não conseguem se alimentar adequadamente, devem tomar um multivitamínico com micronutrientes.

número 4: Escolha das “gorduras certas”

Durante a menopausa, a síntese dos hormônios sexuais femininos para. E como o “próprio” colesterol é o material de construção deles, a escolha correta de produtos que contenham gorduras torna-se relevante.

Os ácidos graxos ômega-3, um componente desses ácidos graxos, protegem contra doenças cardíacas por meio de sua capacidade de aumentar o colesterol bom e reduzir a pressão arterial.

As gorduras de origem animal contêm os chamados ácidos graxos saturados, que, entrando no corpo, contribuem para o aumento do nível sangüíneo de gorduras “nocivas” – colesterol e triglicerídeos. Devido ao alto teor de colesterol da manteiga, recomenda-se limitar seu consumo a 1 colher de chá por dia. O uso de maionese na dieta de mulheres idosas é indesejável.Os alimentos podem não conter colesterol, mas se contiverem gorduras saturadas, será sintetizado no organismo.

Os alimentos vegetais contêm principalmente ácidos graxos poliinsaturados, cujo consumo ajuda a reduzir o nível de colesterol e triglicerídeos no sangue. As fontes vegetais desses ácidos são a linhaça, as nozes e seus óleos. Volte sua atenção para os óleos de milho e soja, que são ricos em vitamina E, um antioxidante que protege o coração, alivia as ondas de calor e reduz o inchaço das mamas e a secura vaginal.

As nozes são uma boa fonte de gordura insaturada, proteína completa, minerais e cálcio. Uma pequena quantidade deles (até 100 g por dia) vai se tornar não só um alimento saudável, mas também uma iguaria que pode animá-lo.

Em produtos de peixe e em alguns óleos vegetais, ácidos graxos monoinsaturados úteis estão presentes, os quais também contribuem para a normalização da composição gordurosa do sangue. A melhor escolha são peixes gordos duas vezes por semana (100 g de sardinha, salmão, cavala ou truta contém mais de 1000 mg de ácidos ômega-3).

Os tipos de gorduras são fáceis de distinguir uns dos outros por sua aparência: as gorduras saturadas à temperatura ambiente permanecem sólidas e as insaturadas tornam-se líquidas. Devo dizer que as gorduras insaturadas devem ser consumidas em quantidades limitadas. Descubra novas maneiras de cozinhar alimentos – a vapor, forno ou microondas – sem gordura e óleo. Esse alimento não só será útil, mas também o salvará de grande ganho de peso, aterosclerose e hipertensão. Limite a ingestão de carnes gordurosas, corte toda a gordura da carne antes de cozinhar. Dê preferência às aves, só certifique-se de retirar a pele antes de cozinhar.

Os produtos de carne preparados devem estar presentes na sua mesa como iguarias – em quantidades muito pequenas. Isso se aplica a todos os tipos de salsichas, salsichas, salsichas, bacon. Deve-se ter cuidado com as miudezas.

Quanto aos ovos, é permitido um por semana, pois as gemas contêm muito colesterol.

Livre-se dos estereótipos de que leite desnatado não é leite. Quanto menos gordura houver no leite, mais cálcio ele contém. O primeiro é inútil para você, mas o segundo é simplesmente necessário. Não passe pelas embalagens de leite, que têm um teor de gordura de 0,5% – este é um produto completo, extremamente útil para você.

Ao escolher o queijo, opte por variedades magras que são mais ricas em proteínas e cálcio.

número 5: Não se esqueça da soja.

Queijo tofu, leite de soja, carne e molho podem ajudar a reduzir os sintomas desagradáveis ​​da menopausa. A soja contém um análogo natural do hormônio estrogênio, cuja síntese cai rapidamente durante a menopausa.

Um estudo no Japão descobriu que as mulheres japonesas que tradicionalmente consomem muita soja têm muito mais probabilidade de suportar as adversidades da menopausa do que as mulheres europeias e americanas que quase não comem produtos de soja.

número 6: inclua o farelo na dieta

Inclua farelo em suas refeições. Em sua forma crua, são insípidos, mas são um produto muito valioso, uma fonte de vitaminas do grupo B. Além disso, o farelo é rico em um alto teor de fitoestrogênios, entre eles se destaca o farelo de trigo, e um grande quantidade de fitohormônio também está contida no milho.

O farelo de aveia contém:

fibra (até 20%), que desempenha o papel de “salvador” do nosso trato gastrointestinal

β-glucano (forma solúvel em água) – uma substância encontrada na fibra que reduz o colesterol ao se ligar a ácidos graxos

aminoácidos

vitaminas – A, C, D, T, K, grupos B, H, PP

luteína, zeaxantina – bom para a visão

licopeno – um antioxidante que evita o acúmulo excessivo de colesterol

minerais – cálcio, magnésio, potássio, silício, fósforo, ferro, iodo e muitos outros